Informativo

Neste blog você encontrará matérias sobre eventos promovidos pela ABAHE ou de que a ABAHE participou. Demais artigos no site http://www.abahe.org.br/.

27.9.10

TAUBATÉ INICIA GRUPO DE VIVÊNCIAS DE 2010

Por Eduardo Lima

Em Taubaté (SP), o dia 21 de agosto foi um sábado ensolarado, quente e lindo. A unidade local da faculdade Anhanguera tinha um ambiente extremamente agradável. Lá, realizou-se o primeiro grupo de vivências de 2010 do Vale do Paraíba, promovido pela ABAHE. Dessa vez, teve a orientação da fonoaudióloga mestre pela USP, Sabrina Mello, especialista no tratamento da DMJ (Doença Machado-Joseph, uma das ataxias de maior prevalência mundial).

Infelizmente, teve de ser um grupo fechado de 40 pessoas. O evento não comportaria mais gente.

Quando iniciou sua dissertação, não havia muita literatura sobre fonoaudiologia na DMJ. Foi por causa de um paciente com a doença que ela se motivou a fazer seus estudos. Seu trabalho foi publicado em: http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/5/5154/tde-10032010-115552/

A sessão durou 3h30 (tinha previsão de duração de 2h). Havia também um grupo de oito alunos e uma professora de fisioterapia (Viviane), do último ano da Anhanguera, gentilmente convidada para participar. Conforme a fonoaudióloga ia explicando, ia pedindo orientações da professora de fisioterapia, quando o assunto dizia mais respeito à esta área de especialização.

A sessão foi dividida em duas partes; a primeira foi teórica, em que Sabrina explicou teoricamente como e por que ocorrem os engasgos e a fala enrolada na ataxia, e tirou as dúvidas das pessoas, e os grupos discutiram as perguntas: “1 – em que a ataxia afetou na sua fala e deglutição?” / “2 – quais os sinais que apresento e o que faço para melhorar?”

A segunda parte foi prática. Foram distribuídos kits para que os participantes fizessem exercícios de fono, uma apostila com exercícios, sucos (para que fosse testada a utilização dos canudos) e iogurtes do tipo Danoninho (para teste da ingestão de alimentos de consistência pastosa). Foi também ensinada a manobra supraglótica, que é de proteção das vias aéreas para não engasgar. O portador faz assim: inspira – prende o ar – e engole – solta o ar. Segundo Sabrina, temos que pensar pra fazer no início, depois se torna automático. Explicação: quando inspiramos, automaticamente tampamos o canal que passa pelo esôfago e vai para o pulmão, e deixamos aberto o canal que vai para o estômago, caindo a capacidade de o alimento seguir para o lugar errado e causar o engasgo.

O que predominou de resposta da primeira pergunta foi: “a minha fala está enrolada e eu estou engasgando muito com saliva, com ar, com água...”

De resposta da segunda pergunta, tivemos, “faço fono, manobras de proteção das vias aéreas, exercícios respiratórios, mantras com respiração”.

Viviane, a professora de fisioterapia neurológica, encerrou os trabalhos, colocando faculdade à disposição dos portadores. Rapidamente, falou sobre a postura de cabeça e pescoço, fundamental para a boa respiração, sobre exercícios respiratórios e conscientização respiratória.

Foi um banho de informações e orientações preciosas. Parabéns à orientadora Sabrina!

Fotos:

Um comentário:

Juliano disse...

Boa tarde,
Como consigo essa apostila que foi entregue no encontro?